Ciber-extorsão e pirataria de dados confidenciais entre os principais ataques a empresas

De acordo com a companhia de seguros norte-americana AIG, entre 2013 e 2016 os principais ciberataques reportados pelas empresas da EMEA estiveram relacionados com a ciber-extorsão (20%), ou foram relativos a pirataria de dados confidenciais (14%)

Ciber-extorsão e pirataria de dados confidenciais entre os principais ataques a empresas

Da lista dos sinistros mais reportados entre 2013 a 2016, provocados por ciberataques que causaram perdas, constam ainda falhas de segurança e acessos não autorizados (10%), vírus (10%) e acesso a dados por negligência ou erro de colaboradores (8%). Ainda segundo as estatísticas da companhia de seguros, os serviços financeiros foram is mais afetados pelos ataques cibernéticos (23%), acompanhados pelas comunicações, media e tecnologia (18%) e pelo setor de retalho (17%).

Para combater a vulnerabilidade dos riscos cibernéticos, a companhia de seguros AIG disponibiliza o CyberEdge. Esta solução global de cobertura procura proteger os negócios das empresas de fugas de dados confidenciais, pirataria informática, vírus informáticos, sabotagem ou erro de colaboradores, roubo de informação e de identidade.

Em Portugal, a companhia de seguros conta já com várias dezenas de clientes, pertencentes aos mais variados setores, cobertos contra ciberataques através da proteção fornecida pelo CyberEdge.

“A vulnerabilidade aos ataques cibernéticos é uma das maiores ameaças atuais às empresas. Mais ou menos mediáticos, os eventos sucedem-se no universo empresarial com uma frequência cada vez maior e demonstram a necessidade de proteção”, alerta Nélson Ferreira, diretor de Linhas Financeiras da AIG Portugal.

Em Portugal, o CyberEdge disponibiliza cobertura de responsabilidade decorrentes de segurança e privacidade, sejam reclamações de terceiros decorrentes de falha na segurança da rede do segurado, ou falha na proteção dos dados; cobertura de gestão de ocorrências, aplicável a falhas de segurança ou violação de privacidade, cobrindo os custos com notificações, relações públicas e outros serviços que auxiliam na gestão e minimização de um incidente cibernético.

Esta solução oferece ainda às empresas portuguesas cobertura de perda de lucros por interrupção do sistema informático, aplicável a uma interrupção efetiva das operações de negocio do segurado causada por uma falha de segurança do sistema informático, através do reembolso dos lucros cessantes e despesas operacionais; e cobertura de ciber-extorsão, que defende as organizações de ameaças a ataques dolosos à segurança de um cliente por uma entidade externa com o intuito de extorquir dinheiro ou outros valores. No caso de Portugal, por motivos legais, a extorsão – valor exigido para o pagamento do resgate – não é segurável.

As empresas têm a flexibilidade de personalizar as opções de cobertura para assegurar que conseguem responder prontamente e evitar danos futuros ou mais dispendiosos.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!