CNCS assina memorando de entendimento para formar dez mil profissionais em cibersegurança

Durante o último dia da C-Days, o Centro Nacional de Cibersegurança assinou um memorando de entendimento para formar dez mil profissionais em cibersegurança até 2026 em conjunto com várias instituições de ensino

CNCS assina memorando de entendimento para formar dez mil profissionais em cibersegurança

Para aumentar a oferta de recursos humanos especializados em cibersegurança à disposição das empresas e da administração pública – e esta é, seguramente, uma das matérias mais importantes em termos de cibersegurança – vamos lançar uma iniciativa fundamental: a C-Academy”. Foi assim que Mário Filipe Campolargo, Secretário de Estado da Digitalização e Modernização Administrativa, apresentou uma iniciativa do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) durante a abertura do último dia da C-Days, uma conferência de três dias que teve lugar entre os dias 7 e 9 de junho no Centro do Congressos do Estoril.

A C-Academy é, nas palavras de Mário Filipe Campolargo, “um programa de formação avançado administrado por várias instituições de ensino superior e que vai permitir formar 9.800 especialistas na área da cibersegurança”.

O Memorando de Entendimento assinado após a intervenção do Secretário de Estado contou, também, com várias instituições de ensino, nomeadamente a Universidade de Aveiro, o Instituo Politécnico de Beja, a Universidade do Minho, o Instituto Politécnico de Bragança, a Universidade de Coimbra, o Instituto Politécnico de Coimbra, a Universidade da Beira Interior, a Universidade de Évora, a Universidade da Madeira, o Instituto Politécnico da Guarda, o Instituto Politécnico de Leiria, a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, o ISCTE, o Instituto Politécnico de Lisboa, a Nova School of Law, a Universidade do Porto, o Instituto Politécnico de Santarém, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e o Instituto Politécnico de Viseu, assim como a Fundação para a Ciência e Tecnologia/FCCN.

A C-Academy está alinhada com o Referencial de Competências em Cibersegurança e terá abrangência em todo o território nacional, tendo lugar até, pelo menos, o primeiro trimestre de 2026.

Em 2021, em entrevista à IT Security, Lino Santos, Coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança, referiu que a agora anunciada C-Academy era um dos grandes projetos inscritos no PRR para a área da cibersegurança, sendo que o objetivo, e como já mencionado, era “requalificar cerca de dez mil especialistas em cibersegurança, habilitados a implementar estes referenciais que referi nas suas várias componentes”.

Em declaração à IT Security - Media Partner da C-Days 2022 e que pertence ao mesmo grupo da IT Insight - no final da C-Days, o Contra-almirante António Gameiro Marques, do Gabinete Nacional de Segurança, refere que a C-Academy foi uma das soluções encontradas para, por um lado, atingir os números e indicadores com os quais o país se comprometeu com a União Europeia, mas também para chegarmos a todos os locais do país. “É com a rede de universidades e politécnicos que temos a capilaridade nacional que nos permite a todas as regiões”, refere.

A C-Academy irá começar no segundo semestre de 2022 e o início concreto será anunciado posteriormente pelo Centro Nacional de Cibersegurança. As universidades e politécnicos que fazem parte desta rede vão, também, divulgar a formação de forma a atrair as pessoas interessadas em formar ou requalificar em cibersegurança na sua região.

Tags

NOTÍCIAS RELACIONADAS

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 38 Julho 2022

IT INSIGHT Nº 38 Julho 2022

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.