Cibersegurança: O que esperar das ameaças a criptomoedas em 2019?

As criptomoedas ganharam muita força entre os utilizadores durante o ano passado, tornando-se também num alvo para os hackers em todo o mundo. A Kaspersky Lab revela o que esperar das ameaças dirigidas às criptomoedas em 2019

Cibersegurança: O que esperar das ameaças a criptomoedas em 2019?

Em 2018, as criptomoedas tornaram-se numa figura habitual para muitos utilizadores e, consequentemente, também um alvo atrativo para os hackers em todo o mundo. De certa forma, a componente maliciosa das criptomoedas chegou a destronar a liderança do ransomware, a principal ameaça dos últimos anos.

Contudo, durante o segundo semestre de 2018, o negócio das criptomoedas e do blockchain teve que enfrentar uma nova situação: a descida abrupta do seu valor. O impacto foi imediato, a atenção pública diminuiu, assim como a atividade da cripto-comunidade global, incluindo hackers e outros intermediários.

Tudo isto tem influência no prognóstico para 2019, afirma a Kaspersky Lab

Para a empresa de soluções de cibersegurança, as organizações e as indústrias chegaram à conclusão que o blockchain tem um campo de atuação bastante limitado e que a maioria das tentativas de diferentes usos não se justifica. Durante vários anos, o uso do blockchain foi explorado e experimentado em vários ambientes, mas não há registo de que se tenham alcançado grandes conquistas. A Kaspersky Lab prevê que 2019 seja o ano em que estas tentativas terminem e em que as grandes expetativas sobre o uso do blockchain fora da esfera das criptomoedas vão desaparecer. 

A utilização de criptomoedas como meio de pagamento também irá diminuir ao longo deste ano, afirma Kaspersky Lab, diminuído assim também o numero de ameaças relacionadas com as criptomoedas. Esta desaceleração da utilização das criptomoedas está a acontecer evido às elevadas comissões (um problema que se mantém desde dezembro de 2017), às transferências lentas, ao alto custo para a sua integração e, mais importante, ao número reduzido de clientes que as usavam com este fim, afirma a Kaspersky Lab. 

Até janeiro de 2018, a subida e descida do preço das Bitcoin era algo habitual. Espera-se agora que esta situação irregular não se volte a suceder, uma vez que o valor das criptomoedas estabilizou com o aumento da sua popularidade. A Kaspersky Lab acredita que o público interessado nestas ‘moedas’ seja, no entanto, bastante reduzido. Caso comece a chegar a todos os públicos, o preço deixará de aumentar.

Para já, no entanto, o interesse que as criptomoedas geraram nos anos anteriores para os hackers, está a diminuir, à medida que empresas e consumidores deixam de as utilizar em grande força.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 17 Janeiro 2019

IT INSIGHT Nº 17 Janeiro 2019

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.