10 dicas para proteger o seu modem ou router

Proteger estes dispositivos é importante, já que é muitas vezes através deles que os hackers chegam a informação sensível que lhes permite atacar mais eficazmente

10 dicas para proteger o seu modem ou router

Um estudo recente veio mais uma vez demonstrar que dispositivos de rede como modems e routers podem ser atacados por cibercriminosos e utilizados para roubar senhas, contas bancárias, números de cartão de crédito e desviar a ligação dos utilizadores domésticos para um servidor malicioso, mesmo que o computador esteja limpo e protegido por um bom antimalware.
 
Eis dez dos seus conselhos para manter estes dispositivos seguros:


1. Mudar a password padrão

Routers e modems vêm de fábrica com passwords padrão, por norma. Mesmo quando o fornecedor de Internet faz a instalação do aparelho na residência ou na empresa, a password padrão de acesso ao painel de configuração é mantida, algo como “admin” ou “password”. “Recomendamos a troca desta senha, pois é muito simples para um criminoso realizar um ataque web, aceder ao painel do modem ou router e trocar as configurações”, alerta Assolini.
Passo a passo: primeiro é necessário encontrar a porta onde seu modem ou router está instalado. Abra o Prompt de Comando na barra Iniciar do Windows e digite “ipconfig”. Procure o endereço do “Gateway padrão”, que começará com “192.168...”. Depois digite este endereço na barra do browser, faça o login no painel com as credenciais padrão e procure a opção para mudar a password.

 

2. Definir uma password e encriptação fortes no dispositivo

Ao mudar a password padrão do dispositivo é importante escolher uma que seja forte, que misture números, letras e símbolos com, no mínimo, oito caracteres. Lembre-se: quanto mais fácil a password, maior a probabilidade de algum vizinho ou alguém mal-intencionado se ligar ao seu dispositivo.

Outra dica importante é escolher a encriptação correta da rede WiFi. O padrão mais seguro atualmente é o WPA2-PSK. Evite WPA ou WEP, que são padrões antigos e podem ser facilmente ultrapassados.

3. Nunca digitar a password do router numa página web

Os cibercriminosos podem atacar o seu router ou modem e mudar as suas configurações através de um simples ataque web. Basta ter visitado um site popular que tenha sido comprometido.

Se algum site solicitar a senha de acesso ao seu router ou modem, nunca revele o seu login. Nessas condições, basta clicar em cancelar que o ataque será neutralizado.

4. Alterar o DNS do seu fornecedor de Internet

Infelizmente, já houve vários incidentes de redirecionamentos maliciosos que envolveram os servidores DNS legítimos dos fornecedores de internet. Nesses ataques, os cibercriminosos sequestram os DNSs do fornecedor e usam-nos por um período de tempo para direcionar os utilizadores para páginas falsas de bancos ou que instalam malware. A maneira mais fácil de evitar este ataque é usar um servidor DNS diferente do seu fornecedor. Existem serviços DNS alternativos mais fiáveis, como o Google DNS (8.8.8.8) e o OpenDNS (208.67.222.222).

Esta alteração pode ser realizada de duas maneiras:

1) Configurar as propriedades de ligação à internet de cada dispositivo ligado

2) Alterar as opções do modem ou router. Neste caso, procure no painel de controlo a opção DNS, apague os DNSs do seu fornecedor e insira um endereço mais fiável.

5 . Mudar as portas padrão

Modems e routers costumam ser instalados em portas padrão, as mais comuns são 192.168.0.1; 192.168.1.1 ou 192.168.1.100. Evite usar estas portas. Pode configurar a sua rede para usar portas diferentes, o que torna mais difícil um ataque de força bruta contra o dispositivo.

6. Atualizar o firmware do router ou modem

Poucos se lembram de atualizar o firmware dos dispositivos de rede, mas essas atualizações corrigem falhas de segurança. Geralmente, no site do fabricante é possível fazer o download gratuito, conforme o modelo do aparelho. Porém, para fazê-lo, é necessário extremo cuidado, pois uma atualização errada pode fazer com que o equipamento pare de funcionar. Pode sempre solicitar ajuda do seu fornecedor de internet ou de um técnico de confiança.

7.  Configurar corretamente os serviços necessários

O router ou modem possui serviços de acesso remoto ou outras tecnologias que raramente são usados e que podem ser desativados para sua segurança. São eles:

- Gestão remota e outros serviços: o painel de configuração do seu modem ou router pode ser quase sempre acedido apenas localmente (LAN), mas isso nem sempre ocorre. Alguns fabricantes disponibilizam a função de gestão remota. Assegure-se de que o painel não está acessível via web. Na maioria dos casos, para desativar esse recurso, deve procurar a opção específica nas configurações, digitando o endereço 0.0.0.0. Também é prudente desativar os protocolos SSH ou Telnet e os serviços UPnP (Universal Plug and Play) e o DLNA (Digital Living Network Alliance).

 -Broadcast SSID: como regra, um router ou modem transmitem o seu ID publicamente, deixando a sua rede visível. Isto pode ser mudado no painel de configuração. Ao desativar o broadcast SSID, no entanto, a sua rede deixará de estar visível, e será necessário informar o nome da rede sempre que um novo dispositivo se tentar ligar a ela.

8. Atenção ao HTTPS

Quando um modem ou router são atacados e outros servidores DNS são configurados nos dispositivos, é comum que os redirecionamentos maliciosos sejam feitos para páginas falsas que não apresentam o cadeado de segurança, nem as ligações exibam o “HTTPS”, indicando a ausência de uma ligação segura (SSL).

Nunca faça login numa página dessas e evite usar sites de bancos ou fazer compras online até que o problema seja resolvido e um cadeado seja exibido na página.

9. Recorra a um bom programa antimalware

Os programas antimalware modernos costumam trazer proteções extras para ligações não fiáveis, mesmo as de redes Wi-Fi extremamente perigosas e vulneráveis.

10. Alteração de equipamento

Se mesmo com todos estes cuidados forem detetados comportamentos anómalos durante a navegação, como redirecionamentos para páginas falsas, solicite ao seu fornecedor uma alteração do equipamento. A operadora tem o dever de trocar o equipamento caso o problema persista.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 32 Julho 2021

IT INSIGHT Nº 32 Julho 2021

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.