O contributo da cloud para uma organização mais ágil e sustentável

O contributo da cloud para uma organização mais ágil e sustentável

Há uma tendência muito clara no aumento do número de organizações que procuram suportar os seus processos e aplicações de negócio em serviços cloud

No entanto, são muitas as que ainda dependem de infraestruturas próprias e locais, utilizando serviços cloud apenas de forma tática, para ambientes de testes e desenvolvimentos, ou quando não existe alternativa, porque há cada vez mais serviços/aplicações que só estão disponíveis na cloud. Esta resistência pode explicar-se por uma falta de conhecimento de boas práticas de transição para a cloud, ou pela ausência de um plano de transformação organizacional abrangente para a mitigação de riscos e controlo de custos.

Acontecimentos mediáticos recentes têm deixado evidente que as organizações estão cada vez mais expostas a riscos, nomeadamente relacionados com a segurança da informação. Organizações que não têm serviços na cloud, em geral, estão mais vulneráveis a ameaças e, por consequência, mais expostas a riscos que podem ter impacto no seu negócio.

Segundo as previsões da IDC, até 2025, 60% das organizações vão implementar serviços dedicados de cloud e 55% vão migrar os seus sistemas de proteção de dados para um modelo centrado na nuvem. Desta forma, conseguirão responder a requisitos de desempenho, segurança e conformidade.

Uma das principais vantagens é o facto de os fornecedores de cloud garantirem às organizações níveis de segurança e conformidade difíceis de igualar numa infraestrutura on-premises (físicas e/ou locais). Estes serviços ajudam a melhorar a capacidade de deteção e resposta a incidentes, tirando partido da análise de dados inteligente, por exemplo, com recurso a machine learning e inteligência artificial (AI), permitindo assim uma melhor previsão, deteção e resposta a ameaças.

No presente, tem sido dado grande destaque ao ChatGPT, entre outras soluções de Processamento de Linguagem Natural (NLP). A procura por este tipo de soluções deve-se à forma como podem também ajudar a melhorar a interação com stakeholders, fornecendo respostas imediatas a perguntas (frequentes) e reduzindo o tempo de resposta a clientes, permitindo também automatizar tarefas e melhorar a eficiência - operacional, financeira e energética – das organizações.

A contribuição para a redução do impacto ambiental é precisamente outra vantagem da transição para a cloud. Ao migrarem os datacenters para um fornecedor de cloud pública, as organizações aumentam a sua flexibilidade, escalabilidade e reduzem a sua pegada ecológica. Esta transição permite reduzir a complexidade, bem como as emissões de carbono e o consumo de eletricidade, ao tirar partido de tecnologias mais eficientes e de instalações que utilizam energia renovável.

Para além disso, a adoção de um modelo de governação com práticas de CloudOps (para a operacionalização eficiente da infraestrutura, potência de elasticidade e segurança) e FinOps (para otimizar custos e maximizar o retorno dos investimentos), assegura o melhor alinhamento da tecnologia e gestão de serviços de IT com os requisitos do negócio.

Em suma, a transformação digital das organizações deve abranger pessoas, processos, tecnologia e sustentabilidade. Se, por um lado, as equipas devem ser capacitadas de modo a desenvolverem competências para melhorar o desempenho das suas funções através da utilização de novas ferramentas; por outro lado, os processos devem ser revistos e automatizados, através de aplicações que potenciem a sua eficiência e eficácia. A cloud é um dos principais potenciadores da transformação digital, seja qual for o seu setor de atividade.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

IT INSIGHT Nº 50 Julho 2024

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.