Confirmado: Coreia do Norte por detrás do WannaCry

Os Estados Unidos acabam de responsabilizar oficialmente o governo liderado por Kim Jong-un pelo mais grave ataque cibernético da História. Na prática todos podemos ser danos colaterais da ciberguerra.

Confirmado: Coreia do Norte por detrás do WannaCry

A possível relação entre o WannaCry e a Coreia do Norte não é nova e foi avançada nos primeiros dias do terrível ataque ransomware, mas a acusação formal só agora foi feita pela Casa Branca após meses de investigação.

"Depois de uma investigação cuidadosa, os Estados Unidos atribuem publicamente o enorme ciberataque WannaCry à Coreia do Norte", afirmou Thomas Bossert, assessor de segurança nacional dos Estados Unidos, num artigo publicado agora no Wall Street Journal.

"A Coreia do Norte tem agido especialmente mal, em grande parte sem controlo, por mais de uma década, e seu comportamento malicioso está a crescer. O WannaCry foi um ataque indiscriminadamente imprudente", disse Bossert.

O ataque do WannaCry em maio provocou a maior crise em sistemas de informação da História, com mais de 300.000 máquinas infetadas em 170 países num falso "resgate" cujo real intuito e motivação foi desde a primeira hora suspeito.
O resgate era na prática falso porque os sistemas de pagamento eram débeis e descuidados, mas os danos foram bem reais, constituindo a grande maioria dos estimados cinco mil milhões de dólares de prejuízos que o ransomware terá causado em 2017.

"O ataque foi generalizado e custou biliões, e a Coreia do Norte é diretamente responsável", disse Bossert. A administração dos EUA também deverá fazer uma declaração oficial sobre o WannaCry.

Além do custo quantificável em operações comerciais, estruturas críticas como o Serviço Nacional de Saúde inglês ficaram parcialmente inoperacionais, com hospitais a fechar urgências, cirurgias urgentes, exames e consultas adiadas por semanas.

Em Portugal foram as operações da Portugal Telecom as mais visivelmente afetadas, mas centenas de empresas, especialmente filiais de multinacionais paralisaram devido ao ataque. 

Esta não é a primeira vez que a Coreia do Norte é implicada no ataque WannaCry: já em junho passado, as agências de inteligência do Reino Unido investigaram uma potencial ligação com a operação de hacking da Coreia do Norte, o grupo Lazarus, que foi associado a ataques cibernéticos nos últimos anos, incluindo o assalto ao banco de Bangladesh com um custo de 80 milhões de dólares e o hack à Sony Pictures em 2014. 

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 12 Março 2018

IT INSIGHT Nº 12 Março 2018

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!