Blockchain: segurança na transparência

O potencial do Blockchain vai muito para lá do financeiro, afirmam especialistas: poderá também ser usado para melhorar soluções de segurança, optimizar cadeias logísticas e salvaguardar infraestruturas de rede

Blockchain: segurança na transparência

Originalmente concebido para facilitar a trocas monetárias virtuais como o Bitcoin, o Blockchain é um sistema financeiro descentralizado por natureza. Não existe um sistema central para armazenamento de dados relacionados com transações, trocas, origens e atividade – a informação está distribuída por todo o mundo em computadores, também conhecidos como nódulos, que carregam consigo o registo de toda a cadeia.

O Blockchain não é um golpe fatal para a segurança – pelo contrário, promete não só uma forma de registar transações financeiras como também de controlar a comunicação de networks, bem como dispositivos IoT e cadeias logísticas.

Os sistemas descentralizados que podem ser construídos com o Blockchain são aplicáveis a uma série de tópicos de cibersegurança, como por exemplo abordar problemas nas cadeias logísticas de aquisição de hardware e software.

Não são só as vulnerabilidades de software que podem conduzir a um problema de segurança – a cadeia logística pode também ser responsável. Onde o erro humano é uma possibilidade, ou alguém de dentro da empresa possa manipular informação ou sistemas na cadeia logística, o Blockchain poderia resolver problemas ao partilhar automaticamente qualquer atividade suspeita ao longo da cadeia.

Quando todos os participantes sabem quem está a fazer o quê, e quando, coisas como ameaças internas, segurança relaxada e simples erros podem ser localizados, eles podem ser abordados antes que possam causar danos graves

Podem também vir a ser envolvidos Smart Contracts. Estes pequenos fragmentos de código são armazenados em cada nódulo ao longo da network de blockchain, e ditar que ações podem ser executadas. Estas ações devem obter o mesmo resultado quando executadas a partir de computadores conetados ao blockchain. Como os participantes podem estar seguros dos eventos, quem os executou, e a lógica associada aos mesmos, existe maior confiança no “contrato” e nos sistemas, e maior certeza que o resultado será correto.

O Blockchain por si só não oferece muito em termos de deteção e defesa contra ameaças no sentido tradicional de soluções de cibersegurança, mas oferece uma infraestrutura de transparência, monitorização de eventos e criptografia, com deteção de ameaças optimizada e partilha segura de dados – das quais algumas soluções de segurança e implementações em networks empresariais carecem.

Evidentemente, é importante não começar a implementar uma tecnologia indiscriminadamente enquanto ainda está na sua infância – como bem se viu com os constantes problemas de segurança resultantes da adoção em massa de dispositivos IoT sem segurança aceitável.

Contudo, numa era em que a confiança nos sistemas é vital, podemos ainda vir a ver o Blockchain integrado em sistemas que lidam com dados sensíveis e transações financeiras, ou controlam dispositivos móveis ou de IoT.
A tecnologia pode também oferecer aos fabricantes uma infraestrutura confiável para manter um controlo mais firme das networks empresariais, e como forma de proteção de pontos fracos em protocolos de segurança.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!