RGPD e as oportunidades para os profissionais de IT

Com menos de um ano para a implementação do novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), a Kaspersky Lab verificou que apenas um quarto dos portugueses das áreas de IT têm um bom conhecimento das novas diretivas, embora a maioria das empresas já esteja bastante preparada para tudo o que mudará com a entrada em vigor das novas regras

RGPD e as oportunidades para os profissionais de IT

De acordo com o estudo “De sobrecarregados a poderosos: o caminho dos departamentos de IT e do RGPD rumo à boa saúde dos dados”, realizado pela Kaspersky, a maioria dos decision makers no setor IT na Europa (63%) espera sentir o seu papel fortalecido aquando da introdução do novo regulamento – já que os mesmos serão a autoridade principal no que diz respeito à aplicação da proteção de dados nas organizações em que trabalham.

Apenas a um ano do RGPD entrar em vigor, algumas empresas podem olhar para estas novas regras pessoais de proteção de dados como inconvenientes – ou como mais dinheiro gasto pela UE. Por outro lado, para os profissionais de IT em toda a Europa, a história é diferente: encaram estas alterações como uma oportunidade. Em Portugal, inclusive, as empresas admitem que já tomaram alguns passos ou a maioria deles em conformidade com as novas regras.

Os profissionais de IT, sugere o estudo, preocupam-se profundamente com a proteção de dados pessoais. As suas experiências diárias de luta contra a perda de dados mostram que os mesmos se preocupam sobre como é que as organizações tratam dos dados atualmente – apenas metade (55%) dos decision makers de IT confia que, hoje em dia, as organizações zelem realmente pelo estado dos seus dados pessoais. Talvez, e sem surpresa, um em cada cinco portugueses (22%) não está confiante de que a organização para a qual trabalha consiga cumprir todos os requisitos da nova proteção de dados até ao dia 25 de maio de 2018.

As suas preocupações e conhecimentos nesta fase inicial da proteção de dados coloca os profissionais de IT numa posição única no que diz respeito à garantia de cumprimento e ao impacto deste novo regulamento no seu local de trabalho, afirma a Kaspersky Lab.

Apesar de alguns decision makers na área de IT se sentirem sobrecarregados com este novo regulamento e com as tarefas que o mesmo implicará, o RGPD dar-lhes-á, ao mesmo tempo, a oportunidade de fazer a diferença na forma como as organizações tratam os dados pessoais dos cidadãos da UE. Mais de metade dos decision makers na área de IT em Portugal, por exemplo, acredita que o RGPD mudará para melhor a forma como desempenham o seu trabalho e a maioria (66%) gostaria de receber formação quanto ao que significa a adoção das novas normativas para a sua organização.

“Os decision makers na área de IT em toda a Europa podem estar, naturalmente, assustados com a hipótese de estarem a arrastar os seus colegas para o cumprimento do GDPR. Afinal, os profissionais de IT, mais do que qualquer pessoa numa organização, sabem a quantidade de trabalho que ainda está por fazer. Conhecem os maus hábitos na utilização dos dados nas empresas; sabem os erros que são cometidos; e estão conscientes do facto de os dados pessoais poderem estar em perigo nas organizações nas quais trabalham. Mas tal como conseguem detetar as falhas, estão também numa posição de influência para ajudar a colmatar lacunas, a prevenir fugas de dados ou a geri-los melhor”, refere Alfonso Ramírez, diretor-geral da Kaspersky Lab.

“Durante o próximo ano, esperamos ver mais profissionais de IT a chamar à atenção para a proteção dos dados pessoais dentro das organizações nas quais trabalham. O GDPR é uma oportunidade para que o IT traga ainda mais valor para as empresas, e para se tornar uma força para a saúde dos dados nas organizações, através do fortalecimento da proteção dos dados pessoais que estão ao seu cuidado”, enaltece o responsável.

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!