A culpa é do Outsourcing ? British Airways IT blackout

A British Airways arrisca-se a pagar pelo menos 100 milhões de libras em indemnizações, segundo os cálculos da imprensa britânica após um fim-de-semana no qual uma falha massiva do IT levou o caos aos aeroportos do Reino Unido.

A culpa é do Outsourcing ? British Airways IT blackout
Esta é a terceira maior companhia aérea do mundo em número de destinos servidos, pelo que a falha deste fim-de-semana, para além de ter paralisado os aeroportos de Gatwick e Heathrow, deixou passageiros irados em terra um pouco por todo o mundo.

A suspensão dos voos, que começou no sábado e se estendeu pelo fim-de-semana, foi atribuída a uma falha no IT que afetou não só os sistemas internos da empresa, mas também as interfaces com o público, como o call-center ou o website.

O diretor executivo da British Airways, Alex Cruz, afirmou que a causa principal dos atuais sistemas de IT de Londres foi "uma questão de fornecimento de energia" e que a companhia aérea "não tem provas de nenhum ataque cibernético".

A BA tem uma infraestrutura de IT muito grande, com mais de 500 bastidores de dados espalhados por seis data centers em dois locais diferentes, perto de sua sede em Heathrow.

A BA não especificou onde ocorreram os problemas de energia.

Já depois de um problema no IT ocorrido em 2016, responsáveis pelo IT da companhia pediram à administração para reconsiderar a decisão do outsourcing com a Tata Consultancy Services, na Índia.

A Tata era conhecida no ocidente como o “carro indiano” , mas o gigante conglomerado industrial de Mumbai tem crescido nas áreas dos serviços, nomeadamente nas tecnologias de informação.

Para a central sindical GMB, existe uma ligação clara e direta entre os problemas atuais e centenas de despedimentos ocorridos em 2016 no IT da empresa, e subsequente outsourcing de trabalho para a Tata.

Na altura, a administração da BA afirmou que: "Nunca devemos comprometer a integridade e segurança dos nossos sistemas de IT. Estes são agora fornecidos a nível global por uma variedade de fornecedores, e esta é uma prática muito comum em todas as indústrias".

Não se conhecendo os detalhes que estão na raiz da falha massiva do IT da British Airways, fica pelo menos no ar a associação das alegações sindicais, e dos próprios quadros do IT da empresa, aos dois maiores “apagões” na história do IT da companhia aérea.

Esta terça-feira, os sistemas IT estão já operacionais, mas a situação não se encontra ainda totalmente normalizada do ponto de vista da gestão de reservas, com milhares de passageiros sem saber ainda como regressar a casa.
Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!