Novo sistema de Big Data e wearables promete melhorar segurança no trabalho

O consórcio europeu We@Work desenvolveu um sistema de IoT com base em wearables e Big Data para optimizar a segurança e saúde no local de trabalho

Novo sistema de Big Data e wearables promete melhorar segurança no trabalho

O custo derivado dos acidentes de trabalho e dos demais problemas de saúde relacionados com o trabalho representam entre 2,6% a 3,8% do PIB europeu. Nos EUA, só o stress associado ao trabalho é responsável por prejuízos de mais de 300 milhões de dólares por ano. Além da perda de qualidade e da redução dos níveis de produtividade, um posto de trabalho mal concebido pode gerar um custo direto de mais de 50 mil euros numa única empresa.

Segundo os estudos mais recentes, o erro humano está na origem da maioria dos acidentes de trabalho, especialmente entre os operadores de maquinaria pesada e dos condutores de camiões. Demonstrou-se igualmente que a implementação de iniciativas com vista a melhorar os níveis de saúde e bem estar nas empresas, contribui não só para reduzir os níveis de absentismo laboral entre os 25% e os 40%, como para além disso promove o aumento dos níveis de produtividade em geral.

 

O projeto

Os avanços da tecnologia de sensores, a aquisição de dados móveis e as metodologias de avaliação de riscos conjugados com a análise de Big Data, permitem às empresas avaliarem os riscos que envolvem o local de trabalho, incluindo os riscos de acidentes de trabalho e de operar maquinaria pesada e perigosa a custos acessíveis.

O projeto We@Work visa transformar o atual paradigma de saúde e prevenção dos riscos no trabalho com a implementação de um serviço que permita a autogestão da saúde aos trabalhadores e promova o aperfeiçoamento da operacionalização do seu posto de trabalho.  Este serviço assegurará a capacidade psicofísica da equipas para operarem nos cenários mais exigentes, permitindo identificar atempadamente os sintomas de fatiga, prevenir transtornos músculo-esqueléticos inerentes a posturas inadequadas, criando de igual modo sistemas individuais e personalizados que possibilitem evitar o stress e promover o bem estar no trabalho. A plataforma estará pronta antes do final de 2017, prevendo-se que se venham a realizar pilotos no Hospital Universitário de Karolinksa na Suécia e na sede da Atos Espanha durante 2018.

O consórcio é liderado pela Atos Espanha, pela Philips Research, pela Quiron Prevención, e pelo Instituto Karolinksa KTH-Kungliga Tekniska Högskolan, Z-Health Technologies (Z-HT), pela província de Estocolmo e pelo Hospital Universitário Karolinska. Outras aplicações como a Pocket mHealth da Atos, em conjunto com a plataforma Phillips HealthSuite na cloud irão permitir gerir as tecnologias e os dados  dos dispositivos portáteis de monitorização, como as peças de vestuário com sensores Z-HT e os sensores de movimento, bem como os sinais fisiológicos integrados no Phillip Health Watch.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!