Web Summit: Viagens aéreas no horizonte da Uber

A Uber está a desenvolver um serviço de viagens aéreas de curta distância com aeronaves elétricas, o Uber Air, com o qual pretende criar um novo paradigma para o transporte urbano. A tecnológica pretende que seja mais barato do que ter um carro

Web Summit: Viagens aéreas no horizonte da Uber

 

O céu é mesmo o limite, para a Uber. A startup privada mais valiosa do mundo está a apostar tudo no que acredita ser a próxima vaga do serviço de transporte privado: as viagens aéreas. “A Uber existe para mudar a mobilidade urbana”, disse Jeff Holden, CPO da Uber, no palco principal da Web Summit. A Uber pretende reduzir o preço das viagens ao ponto das pessoas abdicarem do transporte próprio, motivo pelo qua estão a investir nos carros autónomos, já em test drive nos EUA. “É o principio do fim da propriedade dos carros”.

Mas a Uber não pretende que abdiquemos dos nossos carros em detrimento, somente, de um Uber – quer que comecemos utilizemos a app para apanhar Uber Air, que diz ser o futuro das viagens aéreas. O objetivo é desenvolver uma aeronave 100% elétrica, que levanta e aterra na vertical, com custos operacionais baixos o suficiente para massificar a sua utilização e sem as limitações que os helicópetros colocam enquanto transporte diário: poluição e ruído. “Queremos que seja mais barato do que ter um carro”.

 

Jeff Holden, CPO da Uber

A Uber, que já tem um design de referência, está a estabelecer parcerias com pesos pesados da aviação para desenvolver estes veículos, como a Embraer e a Bell Helicopter, o maior fabricante de helicópteros do mundo.

A estratégia da Uber, para baixar os custos, assenta no volume da produção, em menores custos de manutenção (as aeronaves serão mais simples, do ponto de vista mecânico), na autonomia das baterias e no carregamento rápido (a Uber prevê que carreguem em menos de cinco minutos) e, claro, na utilização massiva por parte dos passageiros, com a partilha de viagens. A Uber pretende que os preços praticados sejam os mesmo do serviço Uber X, e tão simples de chamar quanto este.

A tecnológica está, nos EUA, a estabelecer parcerias com o objetivo de criar múltiplos portos aéreos de recolha e entrega de passageiros. A Uber está também a colaborar com a Nasa ao nível da gestão do espaço aéreo, para assegurar a viabilidade e a segurança do serviço.  

 

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

IT INSIGHT Nº 10 Novembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!