Gestão científica aplicada à transformação digital

O ISCTE realizou nas suas instalações a primeira edição do World Strategy Summit, que contou com a participação de mais de 70 pessoas. Dedicado ao tema “From strategy to execution on the digital era”, o summit teve como objetivo a promoção de boas práticas de gestão científica aplicadas às transformação digital

Gestão científica aplicada à transformação digital

Com uma manhã dedicada às boas práticas internacionais, o evento arrancou com a apresentação da Association for Strategic Planning Iberia (ASP Iberia) centrada em planeamento estratégico, intitulada “Think Digital!”. Durante esta apresentação os oradores deixaram algumas recomendações relativas à transformação digital, guiadas pelo framework Think-Plan-Act da ASP. Estiveram ainda em destaque a quantificação, controlo e validação de benefícios em projetos de digitalização, assim como as boas práticas e principais desafios da gestão de projetos e programas de transformação digital, deixando ainda alguns conceitos de gestão da mudança, gestão de risco e gestão de âmbito.

“O evento teve por objetivo partilhar algumas experiências aplicáveis a transformações digitais, um tema cada vez mais importante nas agendas dos gestores globais, tentando assim reduzir uma curva de aprendizagem que, por vezes, se vê muito dolorosa”, refere Jorge Guedes, Chair do World Strategy Summit Europe 2017.

O evento contou com uma mesa de debate que se focou no tema “Thought leadership for a better digital foresight”, contando com o Prof. Dr. Álvaro Nascimento (professor na Universidade Catolica do Porto), com o Prof. Dr. Pedro Ruivo (solution advisor for Digital Transformation na SAP Portugal), com o Eng. Pedro Salgueiro (diretor para Desenvolvimento de Negocio da Critical Software) e com o Eng. Filipe Caetano (vice-presidente para Gestão de Produto na Coriant). O painel foi moderado pelo Prof. Dr. Leandro Pereira, docente do ISCTE e CEO da Winning Scientific Management.

“Atravessamos um contexto em que os mercados são altamente voláteis e apresentam elevados graus de instabilidade e competitividade. Por este motivo, a maioria das empresas depara-se, muitas vezes, com enormes dificuldades na definição de Planos Estratégicos robustos para dar resposta às necessidades dos seus negócios”, afirma o CEO da Winning que defende ainda “é imperativo aplicar nas organizações um princípio de Gestão Científica que permita desenvolver uma profundidade analítica para criar um processo robusto através da recolha de dados, evidências, relações e diagnosticar assertivamente as causas e os problemas”.

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 6 Março 2017

IT INSIGHT Nº 6 Março 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!