14º Encontro Nacional de Inovação COTEC foca-se na tecnologia e na colaboração

“Inventar o Futuro – Liderar pela Inovação Colaborativa” foi o tema que pautou o último encontro nacional da COTEC, que decorreu em Matosinhos no dia 16 de maio

14º Encontro Nacional de Inovação COTEC foca-se na tecnologia e na colaboração

O 14.º Encontro Nacional de Inovação, organizado pela COTEC Portugal foi presidido pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e contou com a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e de Roland Kupers, Associate Fellow na Universidade de Oxford, como orador convidado.

Com mais de 500 empresários, gestores, empreendedores, académicos, decisores e gestores públicos, o Encontro ficou marcado pela apresentação do estudo “Destino: Crescimento e Inovação” e pela atribuição do Prémio Produto Inovação COTEC-ANI.

Manuel Caldeira Cabral referiu que “a inovação faz-se hoje tanto pelas grandes empresas e médias empresas de forte crescimento, como se faz em micro empresas de forte base tecnológica, como são as startups". O ministro da Economia realçou ainda que, hoje, "a inovação faz-se por transferência da tecnologia das universidades e em colaboração com as universidades, mas faz-se por transferência da tecnologia das pessoas que saem das universidades, e querem formar o seu próprio negócio”.

Roland Kupers, orador convidado desta edição, levantou uma das grandes questões do Encontro: Serão as empresas o melhor lugar para se inovar? “Acontece que as empresas têm grandes desafios estruturais para superar se quiserem inovar, e é bom estarmos conscientes deles”, expressou. Na verdade, realçou, “as instituições estatais são as mais inovadoras, o que inclui universidades, laboratórios governamentais. (...) Isto poderá ser contra tudo o que acreditamos, mas este argumento merece ser explorado, e pode ajudar as empresas a tornarem-se mais inovadoras”.

Outro momento de destaque do Encontro foi a apresentação, pela mão do diretor-geral da COTEC Portugal, Jorge Portugal, do estudo “Destino: Crescimento e inovação”, que resulta de uma parceria entre a COTEC e a Deloitte. Na sua exposição, Jorge Portugal explicou que há em Portugal um número reduzido de empresas mid-caps, com mais de 250 trabalhadores e um volume de negócios superior a 50 milhões de euros, reforçando a ideia de que “temos de trabalhar no sentido de ver quais são as medidas de política pública que podem incentivar que as empresas não abdiquem do crescimento e possam continuar a evoluir para além daquilo que é o seu teto, o teto que muitas vezes impõem a si mesmas”.

Em jeito de balanço do Encontro, o presidente da direção da COTEC Portugal, Francisco de Lacerda, sublinhou que “só através da inovação conseguiremos ter uma economia mais próspera e mais sustentável (...)”, acrescentando que “o domínio do conceito de inovação colaborativa é hoje uma competência crítica para a competitividade e sobrevivência, já que nenhuma empresa isoladamente tem os recursos suficientes para responder aos desafios”.

Na edição de 2017, a empresa vencedora do Prémio "Produto Inovação COTEC-ANI" foi a ADIRA, pelo seu produto ADIRA AM - Additive Manufacturing, máquina de fabrico aditivo de peças metálicas de grande dimensão, que recorre à aplicação de duas tecnologias de fabrico avançadas e disruptivas, integradas num mesmo sistema híbrido. Com esta máquina, foi quebrado um constrangimento dimensional, tornando possível a criação de componentes que até hoje não estariam ao alcance deste método e abrindo portas ao fabrico de grandes séries, com a flexibilidade que este processo permite. Trata-se de um conceito diferente, de um sistema que utiliza tecnologias de elevado fator de inovação num setor de grande crescimento (fabrico aditivo), com aplicações em áreas como aeronáutica, espacial e industrial.

A AMORIM & IRMÃOS recebeu uma menção honrosa pelo NDTECH, tecnologia que permite TCA (aroma a mofo) não detetável (ND) nas rolhas de cortiça natural. Equipamento constituído por um tapete de alimentação de rolhas, um robot de alimentação, um pré-incubador, novo robot de alimentação, câmaras de incubação, um cromatógrafo especial e tapetes de saídas de rolhas positivas e negativas. Esta tecnologia permite analisar 40 milhões de rolhas ao longo do ano e possibilita a comercialização de rolhas com garantia TCA ND.
 

A distinção “Born from Knowledge” foi para BIOSURFIT, pelo seu SPINIT, teste “point-of-care” (POC) para monitorizar diabetes medindo níveis de hemoglobina glicada (HbA1c) no sangue.
A plataforma Spinit dirige-se a médicos, unidades hospitalares e clínicas. Entre os pontos fortes incluem-se diagnósticos mais rápidos, diminuição da prescrição de fármacos errados, diminuição do tempo de internamento, tratamento mais cedo e medidas preventivas.

 

 

Tags

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 9 Outubro 2017

IT INSIGHT Nº 9 Outubro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!