Portugueses compram cada vez mais online

Segudo a ACEPI - Associação da Economia Digital, o e-commerce está em crescimento: dos 73% dos portugueses que utilizam a internet, 36% realizaram compras online durante o ano passado, refletindo-se num valor total de 4,6 mil milhões de euros

Portugueses compram cada vez mais online

De acordo com a última edição do Estudo da Economia Digital em Portugal, desenvolvido pela ACEPI em parceria com a IDC, em 2017 a percentagem de portugueses a utilizar a internet foi de 73% (contra 48% em 2009). Este número deverá aumentar para 91% até 2025. Já no que concerne ao número de portugueses que fizeram compras online em 2017, este valor alcançou os 36% em 2017 (13% em 2009), esperando-se que até 2025 venha a crescer para os 59%. O volume das compras online realizadas pelos portugueses em 2017 situou-se nos 4,6 mil milhões de euros (1,7 mil milhões de euros em 2009), valor que deverá crescer para os 8,9 mil milhões de euros até 2025. Já no que se refere ao volume de negócios efetuado online pelas empresas e pelo Estado em 2017 este valor totalizou os 70 mil milhões de euros (24 mil milhões de euros em 2009), esperando-se que venha a ascender aos 132 mil milhões de euros até 2025.

Apesar de em 2017 se ter verificado uma evolução positiva no valor das compras online feitas em websites portugueses, 50% das compras realizadas online ainda foram feitas fora de Portugal. Estes resultados revelam que ainda existe muito espaço para as empresas portuguesas aumentarem a sua presença na internet e a sua pegada no comércio eletrónico. Assim, em 2016 apenas 27% das empresas portuguesas efetuaram negócios online (9% das microempresas; 25% das pequenas empresas; 36% das médias empresas; e 54% das grandes empresas) e só 17% do seu volume de negócios foi proveniente de clientes no estrangeiro.

"Vivemos um momento crucial de viragem, onde empresas portuguesas têm no comércio eletrónico uma excelente oportunidade para endereçarem mais facilmente um mercado de proporções incomparáveis, que poderá alterar de forma decisiva o equilíbrio da balança comercial digital a favor de Portugal. A tecnologia representa uma nova forma das empresas se poderem diferenciar, evoluir e aproveitarem novas oportunidades de negócio num contexto de competitividade galopante à escala global. Neste contexto, a ACEPI está a desenvolver o projeto Norte Digital com o intuito de contribuir para aumentar o nível de digitalização das empresas portuguesas, nomeadamente das PME da região norte, através da realização de um diagnóstico, da criação de um benchmark e identificação dos principais marketplaces. Em 2018 a ACEPI, através do seu projeto Norte Digital irá percorrer 20 cidades da região norte com um Roadshow que visa sensibilizar as empresas para a importância da digitalização do seu negócio, e dará início a um projeto piloto com 50 empresas," refere Alexandre Nilo Fonseca, presidente da Direção da ACEPI.

O perfil do consumidor mudou de forma acentuada, e os seus níveis de exigência e as suas expetativas em relação à qualidade, à rapidez da resposta das marcas e dos serviços das empresas, bem como à capacidade destas resolverem eventuais incidentes que possam ocorrer no decurso da sua experiência aumentou de forma exponencial, colocando novos desafios aos serviços prestados pelas empresas. Em 2018 iremos assistir a uma consolidação da realização da experiência do e-commerce, revela a ACEPI, através de vários dispositivos, sendo que a compra pode ser iniciada num dispositivo móvel e concluída num desktop ou vice-versa (showrooming e webrooming). Haverá também uma presença crescente em várias plataformas, através das Apps e das API's.

Quem compra quer poder comprar em todos os canais, da mesma forma, os mesmos produtos e ter ao seu dispor o mesmo tipo de serviços de atendimento, de pagamento e de entrega. Os novos modelos são dominados pela capacidade dos retalhistas oferecerem experiências cada vez mais personalizadas, altamente consistentes e coerentes em todos os seus canais aos seus públicos alvo, de modo a conseguirem aumentar os níveis de lealdade dos seus clientes e captarem mais receitas. O que se traduz na necessidade de apostar em plataformas escaláveis e abertas e na presença em múltiplos canais, no momento certo, no local certo Optichannel.

"Conteúdo, comércio, comunidade, contexto, personalização e pesquisa vertical serão as palavras chave do e-commerce em 2018. Além do novo perfil emergente dos consumidores 4.0, que se irá consolidar de forma mais acentuada em 2018, o e-commerce irá também refletir a rápida transformação digital dominada pela cloud, pelo mobile, pela big data e pelas redes sociais que está a ocorrer de forma transversal em toda a economia e onde os aceleradores tecnológicos da inovação, tais como o IoT, a IA, a Realidade Virtual e o Block Chain, têm um papel cada vez mais relevante. Neste sentido, os CxO que quiserem ser bem sucedidos, deverão eleger como prioridades para o digital em 2018: novas audiências; novas fontes de receita; novos modelos de negócio;  desenvolvimento de produtos e serviços centrados nos clientes; CRM; estratégia opticanal; eficiência operacional; novas competências de recursos humanos e talentos, bem como considerar novos canais de distribuição," revela o presidente da Direção da ACEPI.

Tags
Notícias relacionadas

RECOMENDADO PELOS LEITORES

REVISTA DIGITAL

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

IT INSIGHT Nº 11 Dezembro 2017

NEWSLETTER

Receba todas as novidades na sua caixa de correio!